sexta-feira, 17 de junho de 2011

Queijos e vinhos

No frio das noites paulistanas, a ideia de queijo e vinho é quase uma consequência natural do clima, certo ?

E aí surge a dúvida - quais queijos ? E combinando com quais vinhos ? Como é que se deve organizar o evento para que a gente consiga uma boa harmonização entre o que vamos comer e o que vamos beber ?

Bem, uma boa estratégia é procurar agrupar os queijos possíveis, e analisar que tipo de vinho combina com cada grupo. Mão à obra, portanto !

1 - Queijos de cabra - são queijos em geral cremosos, com bastante acidez. Segundo as regras clássicas de harmonização, presentes em qualquer livrinho sobre o tema, o vinho que combina à perfeição é o vinho branco feito à base de uvas sauvignon blanc. Uma boa sugestão, a preços bem razoáveis é o chileno Cousiño Macul Don Luis, por volta de 30 reais. Se quiser gastar um pouco mais, aposte num Saint Clair Vicar's Choice, da Nova Zelândia, uns 75 reais - é um vinho ótimo !

2 - Queijos de sabores delicados - este é um grupo de queijos de massa mole, como o brie e o camembert. A sugestão é um branco de uvas chardonnay. O amanteigado do vinho combina muito bem com o pastoso dos queijos. Melhor ainda se tiver passado por carvalho - por exemplo, o excelente argentino Angelica Zapata, uns 90 reais. Também cabe muito bem (para o meu gosto, pelo menos) um bom pinot noir. Se puder bancar um Borgonha, seria maravilhoso ! Um de preço razoável é o Joseph Drouhin, por 90 reais.

3 - Queijos de sabor acentuado - aqui entram o emmental, o gruyère, o taleggio, o gouda e - como não? - o nosso queijo minas. O pinot noir do grupo anterior continua fazendo papel bonito, mas já podemos pensar também em um vinho mais encorpado, como um merlot, um carmenère chileno ou um espanhol da Rioja. Sugestões ? Um argentino Andeluna Merlot (35 reais), um chileno Undurraga Carmenère (30 reais), ou um espanhol Don Roman Rioja (40 reais).

4 - Queijos fortes - este é o grupo do parmesão, do pecorino, do provolone. São queijos salgados, fibrosos, de massa dura e sabor marcante. Aqui, não há dúvida : chegamos ao terreno dos tintos encorpados. Um Bordeaux, um Chianti, um Brunello di Montalcino. É o terreno das uvas cabernet sauvignon, sangiovese, talvez de um malbec argentino que tenha passado por carvalho. Os sabores são mais acentuados, os preços são igualmente mais acentuados ... Que tal um Chianti Rufina Nipozzano Reserva, por cerca de 100 reais? Ou um delicioso Chianti Vernaiolo, da casa Rocca Delle Macie, por 50 reais ? Poderíamos arriscar também um argentino Norton Malbec, mais baratinho, de 35 reais.Dos Bordeaux e dos Brunello nem vou falar, pois os preços, infelizmente, são bem mais altos.

5 - Queijos azuis - este é o nome genérico que se dá aos queijos do tipo gorgonzola ou roquefort, ou ainda o inglês stilton. A harmonização fica absolutamente maravilhosa com um vinho doce como o Sauternes francês, ou um bom vinho do Porto, ou ainda com os sul-americanos Late Harvest. Para este último tipo, minha sugestão é o excelente argentino Afincado Tardio Terrazas - sai por dolorosos 150 reais ... Mas você vai encontrar outros vinhos de colheita tardia , argentinos e chilenos, por preços bem mais em conta.

Em termos ideais, bacana mesmo seria eleger dois ou três desses cinco grupos, e colocar uma garrafa do vinho adequado ao lado de cada grupo ...

Se não der, não se aborreça demais : escolha um dos vinhos, pela média, para acompanhar todos os queijos dos grupos escolhidos.

A harmonização não será, talvez, a mais espetacular - mas, como sempre, o que vale mesmo é o prazer de desfrutar da boa conversa, dos bons amigos, das risadas, noite adentro - é ou não é ?

2 comentários:

Chico Bastos disse...

Informações valiosas para ler e guardar. Obrigado!!

Nivaldo Sanches disse...

Eu é que agradeço, Chico, pelo seu comentário ! Que bom que pensa assim, que meu texto realmente pode ter alguma utilidade prática !

"Apareça" mais vezes por aqui !

Abraços