segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Cervejas, Leonardo, cervejas !

Atendendo a uma solicitacão do Leo, grande amigo de muitos anos, vou abrir uma excecão e falar rapidamente sobre cervejas ...

Visitamos em Amsterdam um boteco fantástico, chamado 't Arendsnest . Pois é, eu nem sei falar esse nome ... Mas ele tem 40 marcas diferentes de cervejas (em forma de draft, ou chope) e mais de 70 marcas em garrafas.

Detalhe - todas elas são holandesas ...

É alucinante, você simplesmente não sabe o que escolher no cardápio. São cervejas do tipo lager, pilsener, stout, ale, weiss, o diabo a quatro.

Tomamos duas cada um, comemos um delicioso queijinho holandês e fomos pro hotel, felizes da vida.

Quem se interessar pelos detalhes, dê uma espiadinha no site do bar - mas faca essa visita com uma cervejinha na mão, garanto que vai dar vontade de beber ...

Harmonizacao com peixes, direto de Amsterdam !

Bem, já estamos em viagem, e tivemos um dos primeiros jantares mais "sérios" da viagem - fomos a um restaurante em Amsterdam, especializado em frutos do mar. O nome não poderia ser melhor escolhido - Le Pêcheur, ou O Pescador

Comi um prato de peixes delicioso - são cinco tipos diferentes de pescados grelhados. Não me perguntem quais os peixes, não saberia dizer ... O garcon me explicou detalhadamente - mas em holandês ... Ô, língua incompreensível ...

Pedimos um vinho que, no Brasil, seria bem caro, mas aqui na Europa, dá pra encarar : foi um Pouilly Fumé Château de Tracy 2007, um vinho branco francês do Vale do Loire. Custou uns 65 reais - certamente, metade do que custaria no Brasil.

Pois bem, meus amiguinhos, este vinho harmonizou maravilhosamente com os peixes grelhados. Os peixes tinham sabores delicados, suaves. O vinho também era delicado, com um leve toque frutado e uma acidez perfeita. Ficou uma delícia !

Se alguém aí estiver pensando em uma visita a Amsterdam, não perca a chance !

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Viagem de férias, OBA !

Meus fiéis e amados seguidores, estou saindo de férias por 33 dias.

Partimos esta noite, a Tereza e eu, para realizar um antigo sonho - conhecer o leste europeu. Vamos circular alegremente entre Hungria, República Checa, Áustria e Polônia - com direito, ainda, a uma paradinha de três dias em Amsterdam.

Ao longo desses trinta dias, vou procurar, sempre que possível registrar novos posts aqui no blog. Essa região não é muito pródiga em vinhos - o forte por lá parece ser a cerveja (na Rep. Checa) e a vodka (na Polônia).

Mas há pelo menos uma região vinícola que entra em todas as listas de "melhores do mundo" - são os vinhos de Tokay, ou Tokaj, no leste da Hungria. Lá são produzidos alguns dos melhores vinhos de sobremesa do mundo, os Tokaj Aszu, a partir da uva furmint atacada pelo fungo da botrytys cinerea - exatamente como nos vinhos de Sauternes.

Evidentemente, já agendamos pela internet duas visitas às vinícolas de Tokaj ... Os resultados logo estarão aqui no blog - assim como outras experiências viníferas que venhamos a ter ao longo desses 30 dias.

Até a volta !

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

A Copa dos Copos - Parte 13


Nossa Copa dos Copos se aproxima rapidamente do seu grande final, assim como já aconteceu com o Mundial de futebol da África do Sul.


Já temos uma semi-final definida, com França e Portugal. Resta agora definir o segundo jogo das semi-finais.


O jogo de hoje será disputado por adversários de grande peso : Alemanha e Argentina. No Mundial de futebol, todos se lembram, a Alemanha goleou a Argentina impiedosamente, por 4 a zero. Como será o embate na Copa dos Copos ?

A Alemanha tem um grande time, composto principalmente por seus maravilhosos vinhos brancos, produzidos na região sudoeste do país.

No gol, a magnífica região de Mosel-Saar-Ruwer, com seus rieslings - os melhores do mundo, sem dúvida.

A defesa é composta pelas grandes regiões mais ao sul, Baden e Pfalz, onde predominam as uvas pinot - que na Alemanha atendem por nomes meio diferentes, como a Weissburgunder (pinot blanc) e a Spätburgunder (pinot noir). Também jogam nesta área do campo os vinhos de Franken, produzidos com a variedade Silvaner - menos considerada que as outras, mas ainda assim de alguma qualidade.

O ataque é talvez seu ponto mais fraco : as regiões de Ahr, Mittelrhein, Nahe e Rheingau . A maior parte dos vinhos produzidos aqui também é da uva riesling, mas não se comparam aos vinhos de Baden e do Mosel. Há ainda a região de Würtenberg, com suas uvas Schwarzriesling e Trollinger - nada de especial, enfim ...

E do outro lado ? Como está a Argentina ? Terá, também nos vinhos, os seus deslumbrantes talentos como Messi e Maradona ?

A resposta é sim. Há vinhos brilhantes na Argentina, e espalhados por diversas regiões do país.

Desde Mendoza (Lujan de Cuyo, Maipú, Valle do Uco) até a Patagonia (Neuquén, Rio Negro), passando por Salta, San Juan, La Rioja e Catamarca - os vinhos argentinos continuam dando um show de competência, sabor, tecnologia e qualidade.

São chardonnay, pinot noir, torrontés, cabernet sauvignon, bonarda, syrah - e, é claro, o grande capitão da equipe argentina, a uva malbec. Certamente, alguns dos melhores e mais bem-feitos malbecs do mundo são produzidos por nuestros hermanitos tão queridos ...

E já temos mais um semi-finalista na Copa dos Copos - a Argentina. Mais uma grande equipe, a Alemanha, tomba pelo caminho ...

Sim, na Copa dos Copos a Argentina teve sua revanche do Mundial de futebol. OK, não foi uma goleada histórica como aqueles 4 a zero, mas foi sem dúvida uma bela vitória.