quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Portugal também produz bons vinhos brancos


Sim, sim, voltei da minha viagem a Portugal convencido de que isso é verdade - embora sejam bem menos conhecidos e famosos do que os tintos (que realmente são superiores), os vinhos brancos de Portugal não são nada desprezíveis - ao contrário ... E nem sequer estou me referindo aos famosos vinhos verdes do norte do país.

Especialmente na maravilhosa região do Douro, os lusitanos andam produzindo algumas coisas bastante interessantes nessa área. As uvas, como sempre, têm aqueles nomes peculiares : arinto, gouveia, viosinho, rabigato, donzelinho ...

Pois bem : ontem à noite, Tereza atacou de novo no fogão, e saiu-se com um ótimo risotto, feito com ervilhas, peras secas, palmito, queijo gorgonzola e, já no prato, um leve toque de aceto balsâmico.

Para beber, abrimos precisamente um branco português lá do Douro : o eleito foi um Vinha Grande Branco Ferreirinha 2010. A Casa Ferreirinha, como é sabido, deve esse nome à célebre Dona Antonia Ferreira, a Ferreirinha, que foi a improvável magnata dos vinhos do Douro no século XVIII - mas a vinícola hoje pertence à Sogrape, a maior produtora do país.


O vinho estava ótimo - no nariz, aromas florais e de frutas, mas quase sem toque cítrico : lembrava mais peras ou - principalmente -  melões, e uma leve nuance mineral. Na boca, ótima acidez, equilibrado e razoavelmente encorpado, com um final bem longo.

Harmonizou muitíssimo bem com o risotto -  o toque adocicado das peras secas combinava com os aromas / sabores de melão do vinho, e a acidez contrabalançava a presença do gorgonzola. Por fim, acho que uma certa untuosidade combinava bem com o creme de ervilhas que fazia a base do risotto.

Fica aí a sugestão - se você gosta de brancos, deixe um pouquinho de lado a mesmice dos chardonnay e sauvignon blanc e prove um português, pra variar - depois me conte o que achou !