terça-feira, 8 de novembro de 2011

Amigos argentinos, bacalhau à espanhola, vinhos portugueses

O bacalhau e as batatinhas

Sábado foi dia de bacalhau - e um delicioso bacalhau (acho que era à espanhola) : postas altas, tenras, com muito azeite, alho, cebolas, grão-de-bico e pimentões vermelhos.

O peixe, tocado pela ponta do garfo, se desmanchava em lascas brancas e macias - só de lembrar, me vêm lágrimas à boca ...

A artista foi a Guillermina, nossa querida amiga argentina, e estávamos em um grupo de sete pessoas : Adalberto e Gui (os donos da casa), Adriana e Sebastian, Tereza e eu - e Don Rodolfo presidindo os trabalhos. Ah, sim : o Luca também estava por lá, mas entediado com o chatíssimo papo dos adultos preferiu ficar no seu quarto jogando video-game ...

Os vinhos foram portugueses - por coincidência (ou falta de imaginação ?) tínhamos todos dado uma passadinha na Adega Alentejana, bela casa de vinhos portugueses aqui em Moema, em São Paulo. Visitem o site (http://www.alentejana.com.br/) e, se puderem, a própria loja - vale a pena pela variedade, qualidade e preço dos vinhos portugueses (na maioria alentejanos) e pela simpatia da Virgínia, que recebe a gente sempre com um sorriso acolhedor.




Demos início aos trabalhos da noite com um Paulo Laureano Premium Tinto 2008, um bom alentejano feito com as castas típicas : alicante bouschet, aragonez e trincadeira. Um vinho redondo e equilibrado, com a madeira presente mas discreta. Aromas de frutas negras com um toque de torrado ou de defumado - muito bom ! Acompanhou muito bem um delicioso queijinho da Serra da Estrela, de comer de colher - e, se possível, ajoelhado ...

Depois, partimos para um Adega de Borba Tinto 2009 - um vinho jovem e suave, feito com as mesmas uvas, mas sem passagem por madeira. Pareceu-me um vinho um pouco inferior ao anterior. Gostoso, mas leve demais para a opulência da comida. Um bom vinho para o dia-a-dia, talvez, sem grande brilho.



Em seguida, o grande vinho da noite : o Tapada do Fidalgo Reserva Tinto 2008. De novo, as uvas clássicas do Alentejo : alicante bouschet, aragonez e trincadeira. Com doze meses de barrica, este vinho escoltou com muita dignidade nosso bacalhau. Ótima persistência e intensidade de sabores, taninos elegantes, estruturado e potente.

Um ótimo vinho, para uma ótima comida, em ótima companhia - podia ser melhor ?!?




Ah, esquecia de mencionar as divinas batatinhas, fritas de uma maneira especial que não sei descrever - só lembro que o método foi sugerido por um amigo do Sebastian, a quem registro aqui meu eterno agradecimento !

Nenhum comentário: