quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

A Alma do Vinho

Belo título, não acham ?

Pois é, é o título de um livro publicado por aqui em 2009, pela editora Globo, e que me foi dado de presente pela minha querida amiga Priscilla.

A proposta é pra lá de interessante - fazer uma seleção de contos, crônicas, poemas, textos curtos e fragmentos da grande literatura universal (incluindo brasileiros, é bom que se diga) que abordem, de alguma forma, o vinho.

A antologia é organizada em sequência cronológica : os primeiros textos são fragmentos da Bíblia,  como o Cântico dos Cânticos, atribuído historicamente ao rei Salomão. Os últimos são coisas bem recentes, como poemas da Hilda Hilst ou um mini-conto do grande Mário Quintana.

Como toda antologia, ela está sujeita a altos e baixos. Tem coisas ótimas, e coisas mais-ou-menos. Um problema meio chato é a tentativa - às vezes, forçadíssima - de encaixar "na marra" um texto legal na antologia, só porque lá pelas tantas o autor descuidadamente fala a palavra vinho. Mas isso não chega a atrapalhar - a leitura do livro, em geral, é bem agradável.

Alguns pontos de destaque, para mim, são os contos do americano Edgar Allan Poe (O tonel de Amontillado), do português Eça de Queiroz (O tesouro), do russo Anton Tchekhov (A aposta) e do brasileiríssimo João do Rio (História de gente alegre).

Só para dar água na boca, vejam que coisa linda é o micro-conto do Quintana :

"O nome do rei Nabucodonosor era belo e solene e lento como um cortejo religioso. Porém o povão, para abreviar, chamava-o simplesmente de Bubu.

É que o povo tem pressa porque a vida é curta, deslembrado de que, se passam rápido os anos, podem ser longos os dias, as horas, os minutos ... Tudo depende de como saboreá-los, degustando-os lentamente como faz um provador de vinhos. E como um vinho, a vida não deve ser bebida de um trago; senão a gente logo se embriaga e perde o preciso sabor de cada gole.

E assim também é que um poema deve ser lido : lentamente, verso a verso, passo a passo - como quem está seguindo o cortejo do rei Nabucodonosor."

Dá vontade de ler mais coisas, e de beber vinho, não dá ?

Um comentário:

Evelyn disse...

Lindo!!! Vou começar a ler meu livro agora!!! rsrsrs
beijo